Ácido – Alcalino – Neutro

No ser humano, o pH do sangue é de 7,39, e este apenas pode ter uma ligeira variação de +/- 0,03, além disso já se encontra em desequilíbrio.

Este não tem de ser exactamente o pH do nosso terreno, ou seja, do nosso organismo, embora seja desejável que este também esteja mais para o alcalino, acima de um pH 7.

Infelizmente, quase todas as pessoas têm um terreno ácido, pelo que estão sujeitas às mais variadas doenças, que vão desde o sistema nervoso (stress, tristeza, irritabilidade, tendência depressiva), sistema digestivo (aftas, cáries, gastrites, úlceras estomacais, diarreias), sistema osteoarticular (osteoporose, artroses, lombalgias, ciática, gota), entre uma infinidade de outros problemas (fadiga, problemas renais, alterações na pele, etc.).

Há várias causas para o nosso organismo estar mais acidificado, mas as duas principais são o estilo de vida (essencialmente sedentário) e a alimentação. Este pH pode ser medido de várias formas, sendo uma das mais fáceis através da urina. O pH da urina vai variando ao longo do dia, e tem de ser medido em alturas específicas para se verificar correctamente.

Após se confirmar a acidez do terreno, há várias estratégias que se podem adoptar, em que a alimentação desempenha o papel principal no reequilíbrio orgânico. Temos alimentos acidificantes, alimentos alcalinizantes e alimentos ácidos (estes últimos embora tenham um sabor ácido, podem não ser acidificantes caso a pessoa não tenha muita sensibilidade aos ácidos, como por exemplo o limão ou o vinagre).

Para um bom acompanhamento, o terapeuta deverá sempre tentar saber qual o pH do paciente, já que muitas vezes corrigindo a acidez do terreno, as patologias lentamente começam a regredir e a desaparecer.

Nas publicações seguintes irei falar de alguns alimentos que ajudam a reduzir o pH do nosso organismo.

Sejam saudáveis e realizados!
Filipe Rocha

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *